Os Guarani em Situação Urbana

  • Celso Aoki (in memoriam)
Palavras-chave: Guarani, índios urbanos, territorialidade, territorialização, gênero

Resumo

O texto apresenta contribuição fundamental para a compreensão da presença de famílias guarani vivendo atualmente nas periferias de cidades no Mato Grosso do Sul (MS), demonstrando ainda as estratégias de existência desenvolvidas pelas famílias. Mas a abordagem vai muito além, e discute a gênese desse processo, apresentando as atrocidades cometidas pelo Estado contra os guarani, com a expropriação de se seus territórios de ocupação tradicional e o desrespeito às suas formas organizacionais. Os dados resultam do acompanhamento das transformações na região, o que proporcionou oportunidades de presenciar a retirada das madeiras nobres, o desmatamento em larga escala, a implantação das atividades agropastoris e a consequente expulsão de comunidades de seus últimos refúgios. Agregando informações densas e referenciadas na própria experiência de vida e militância, o texto discute como o Estado brasileiro promoveu o recolhimento das comunidades nas reservas demarcadas pelo órgão indigenista oficial, submetendo-as a um rígido controle exercido por autoridades impostas, o chefe de posto e o capitão. A partir da década de 1980 as reservas se transformaram em um ambiente de muita violência e repressão contra famílias que não fazem parte das principais redes políticas, aliadas as agências públicas e da sociedade civil que atuam nas reservas. A saída para as famílias nessa condição foi buscar a “reocupação dos tekoha”, ou fazer a “migração para as cidades”. Assim, fica demonstrado que a origem dessa mobilização está justamente onde tudo começou: a reservação.

 

Biografia do Autor

Celso Aoki (in memoriam)

Antropólogo, etnólogo e indigenista. Coordenou o Centro de Trabalho Indigenista (CTI).  

Referências

AOKI, Celso. Paje vai – feitiço entre os Ava-Guarani e Paĩ Kaiowá no Mato Grosso do Sul. In: GRÜNBERG, Friedl Paz; GRÜNBERG, Georg (Ed.). Los guaraníes: persecución y resistencia. Quito: Abya-Yala, 2014. p. 209-49.

BENITES, Tonico. A escola na ótica dos ava kaiowá: impactos e interpretações indígenas. 2009. Dissertação (Mestrado em Antropologia Social) – Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, RJ, 2009.

ELIAS, Norbert; SCOTSON, John L. Os estabelecidos e os outsiders: sociologia das relações de poder a partir de uma pequena comunidade. Rio de Janeiro: Editora Jorge Zahar, 2000.

GUASCH, Antonio. Diccionario castellano-guaraní y guaraní-castellano. Sevilla: Ediciones Loyola, 1961.

MELIÀ, Bartomeu. Palavras ditas e escutadas. Mana, Rio de Janeiro, v. 19, n. 1, p. 181-99, 2013.

MURA, Fábio. À procura do bom viver. 2006. Tese (Doutorado em Antropologia) – Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, RJ, 2006.

TRAJANO, José Maria. Entre a aldeia e a cidade: o "trânsito" dos guarani e kaiowá no Mato Grosso do Sul. 2005. Dissertação (Mestrado em Antropologia Social) – Universidade Federal do Paraná, Curitiba, PR, 2005.

Publicado
2021-08-16
Seção
Dossiê: Povos Indígenas, Populações Tradicionais e os Estudos Críticos do Desenv