Comunidade Mbya-Guarani: economia e relações com a sociedade “atrevida”

  • Zélia Bonamigo

Resumo

O objetivo do presente artigo é refletir sobre a economia dos Mbya-Guaranis na ilha da Cotinga ou tekoa Pindoty, em Paranaguá-PR. A partir das manifestações de seu nhandereko, ou “nosso jeito de ser”, eles expressam sua economia de reciprocidade, sem se reduzirem a ela, e manifestam suas trocas com os deuses e com a sociedade não-índia. A circulação entre parentes de outras aldeias, ou a visitação cotidiana na mesma aldeia, lhes possibilita trocas de pessoas, alimentos, sementes, mudas, colares e idéias, enquanto oferecem a dádiva da visita. A sociedademoderna não lhes dita todas as normas. Eles incorporam conscientemente elementos da sociedade capitalista, atribuindo-lhes seus significados particulares, o que lhes possibilita a convivência dom/mercadoria, as trocas de relações e a abertura para os Outros.
Publicado
2014-11-25
Seção
Artigos