Entre a aldeia, a fazenda e a cidade: ocupação e uso do território entre os Guarani de Mato Grosso do Sul

  • Alexandra Barbosa da Silva

Resumo

Em Mato Grosso do Sul, a presença dos brancos fez com que os Guarani Kaiowa e Guarani Ñandéva assistissem à transformação de seu território, com o estabelecimento de fazendas e de cidades. Esses locais vieram a constituir espaços específicos, que não são menos ocupados e/ou incorporados na vida cotidiana desses índios do que as ditas “aldeias”– espaços definidos como de uso exclusivo dos indígenas. Melhor dizendo, a ocupação e utilização desse território – ora diversificado em sua composição física e infraestrutural – não se apresenta ao observador de modo a priori como fragmentária e estanque em cada um destes espaços(ou seja, a “aldeia”, a cidade e a fazenda); antes, observa-se que as atividades e relações aí desenvolvidas acabam por constituir um leque de possibilidades de obtenção de recursos materiais e imateriais para os grupos domésticos (isto é, o grupo familiar de três gerações), que são de fato o eixo fundamental de organização social destes indígenas.
Publicado
2014-11-25
Seção
Artigos