Demorei tanto para chegar... - ou: nos vales da epistemologia transcultural da vacuidade

  • Jacques Gauthier

Resumo

Após justifi car o agnosticismo como posição filosófica certa em pesquisas interculturais, por respeitar as crenças epistemológicas e os caminhos metodológicos do outro, o autor, com os pensadores da decolonialidade do saber, valoriza os conhecimentos indígenas como científicos e estuda as semelhanças e diferenças entre ciências eurodescendente e indígena, numa perspectiva de dialogicidade e interculturalidade crítica. Mas, além da interculturalidade com respeito mútuo aos fundamentos epistemológicos do outro, encontram-se no filósofo budista Nâgârjuna as bases para uma epistemologia transcultural da vacuidade, mais ampla que as epistemologias regionais euro ou americano-descendentes, que o autor articula com a sociopoética que criou e as pesquisas de Simondon, Deleuze e Guattari.
Publicado
2014-11-28
Seção
Dossiê: Contribuições para o diálogo de saberes em situação précolonial