FAMÍLIAS HUMILDES DE PESCADORES VS. ÍNDIOS EM EXTREMA POBREZA: A REPRESENTAÇÃO DE ATORES SOCIAIS NO DISCURSO MIDIÁTICO SOBRE DEMARCAÇÃO DE TERRAS INDÍGENAS

  • Carlos Maroto Guerola Mestre e Doutorando no Programa de Pós-Graduação em Linguística da Universidade Federal de Santa Catarina. E-mail: cmguerola@gmail.com

Resumo

O presente trabalho busca apontar estratégias discursivas para des-enfatização de atores sociais indígenas no discurso da mídia de massas brasileira em relação à demarcação de terras indígenas. Para tanto, é analisada uma reportagem do Jornal do Meio Dia da RIC TV Santa Catarina de outubro de 2013 sobre o conflito em torno da demarcação da terra indígena guarani do Morro dos Cavalos (Palhoça/SC). Prestando especial atenção ao desacato ao Princípio de Cooperação de Grice (1975/1999), são identificadas cinco estratégias discursivas de des-enfatização, que exploram a máxima de quantidade por meio de omissões. Exemplifica-se, assim, o modo em que a representação de atores sociais indígenas nesse discurso serve à invenção da sua etnicidade por parte da grande mídia com o objetivo de favorecer opiniões contrárias à demarcação da terra indígena em questão e das terras indígenas no país de modo geral.

PALAVRAS-CHAVE: Análise crítica do discurso; terras indígenas; discurso midiático

Biografia do Autor

Carlos Maroto Guerola, Mestre e Doutorando no Programa de Pós-Graduação em Linguística da Universidade Federal de Santa Catarina. E-mail: cmguerola@gmail.com
Mestre e doutorando em Linguística pela Universidade Federal de Santa Catarina, na área de concentração em Linguística Aplicada, tenho atuado como professor e pesquisador na área de educação escolar indígena, educação bilíngue, estudos do letramento e estudos do discurso. Formado em Tradução e Interpretação (Espanhol, Inglês e Português) pela Universidade de Granada (Espanha), e especialista em Estudos Brasileiros pelo Centro de Estudos Brasileiros da Universidade de Salamanca (Espanha), minha trajetória acadêmica complementa-se com experiências nas universidades de De Montford University of Leicester (Reino Unido), Universidade Federal da Paraíba (Brasil), Universidad Mayor de San Simón (Bolívia) e Universidade de Viena (Áustria). Docente colaborador na Licenciatura Intercultural Indígena do Sul da Mata Atlântica (UFSC), na formação de professores Guarani, Kaingang e Xokleng/Laklanõ, e professor de português como língua estrangeira e cultura brasileira, atuo no Grupo de Pesquisa em Educação Linguística e Pós-Colonialidade. Possuo ademais experiência como professor de espanhol língua estrangeira, e como tradutor técnico e intérprete de conferências, com experiência de trabalho em Portugal, Espanha, Áustria, Reino Unido, Brasil, Bolívia e México. Escritor e músico.
Publicado
2015-06-05