AS CULTURAS INFANTIS NA DIVERSIDADE DOS CONTEXTOS: UM ESTUDO DA CRIANÇA NA ALDEIA CANUANÃ

  • Nathalia Cunha Polese Mestre em Educação pela Universidade do Estado de Minas Gerais (UEMG); artigo resultante das discussões advindas de pesquisa de dissertação de Mestrado
  • Karla Cunha Pádua Doutora em Educação pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e Pós Doutora em Antropologia pelo Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa (ICS-UL); professora do Programa de Pós-Graduação em Educação, da Universidade do Estado de Minas Gerais (PPGE-UEMG);

Resumo

RESUMO: A proposta do texto é focar nosso olhar na singularidade dos contextos sociais e culturais em que vivem as crianças no mundo contemporâneo, partindo da problematização do conceito de socialização, central nesta fase da vida. As crianças são pensadas como atores sociais, que tem cultura própria e formas próprias de perceber o universo em que vivem. Tendo em vista este novo paradigma que se desenvolveu a partir dos anos 90, buscamos compreender a infância indígena, apresentando dados coletados por meio de pesquisa etnográfica na aldeia Canuanã, em Formoso do Araguaia, no Tocantins. Perambulando com elas pelos espaços da aldeia, as crianças indígenas nos mostraram que constroem junto a seus pares um universo que lhes é ímpar, em diálogo com as instituições socioculturais que estruturam a vida coletiva.

PALAVRAS-CHAVE: Culturas Infantis, Infância Indígena, Socialização.

Publicado
2015-06-05