A RELAÇÃO DA CRIANÇA INDÍGENA EM SITUAÇÃO DE ACAMPAMENTO NO TERRITÓRIO

  • Wellington Luiz Marchi
  • Alvaro Banducci Jr. Professor da UFMS, Centro de ciências Humanas e Sociais

Resumo

Esse trabalho tem como objetivo um registro antropológico, por meio do recurso fotográfico das crianças Guarani e Kaiowá, que vivem em situação de acampamento na região sul do Estado de Mato Grosso do Sul, em sua relação com o território de ocupação coletiva. As áreas indígenas que foram pesquisadas são, especificamente, a de Laranjeira Ñanderu, Curral do Arame (Apykaí) e Prakurity. O cotidiano das crianças Guarani e Kaiowá que vivem fora de seus tekoha, foram registrados no contexto de suas moradias, da casa de reza, das áreas em comum e o deslocamento involuntário com o processo de readaptação aos espaços até então provisórios, provenientes de ordem judicial, que é experimentado e articulado pelas crianças da área Laranjeira Ñanderu e do assentamento de beira de estrada, área Curral do Arame. O trabalho aqui apresentado tem como aspecto inovador e relevante a proposta de registro fotográfico do relacionamento da criança com o território, a partir do qual se produzirá a análise acerca da relação espaço e universo infantil em situação de acampamento indígena.

Publicado
2015-03-11
Seção
Iconografia