Transformação da vida de um menino tuyuka no internato salesiano de Pari-Cachoeira: leitura antropológica do internato como uma estrutura total (1970-1979)

  • Justino Sarmento Rezende É indígena do povo Ʉtãpinopona-Tuyuka, nascido na aldeia Onça-Igarapé (1961), distrito de Pari-Cachoeira, município de São Gabriel da Cachoeira, Amazonas. É salesiano e padre. Graduado em Filosofia (UCB/DF); Bacharél em Teologia (FTNSA/SP) e Mestre em Educação (UCDB/MS). E-mail: justinosdb@yahoo.com.br
Palavras-chave: Educação indígena, educação escolar, processo civilizatório.

Resumo

O objetivo do artigo é descrever a vida de um menino tuyuka dentro do processo de educação no internato salesiano de Pari-Cachoeira, no município de São Gabriel da Cachoeira, AM, no período de 1970-1979. A educação de crianças, adolescentes e jovens indígenas dentro de uma estrutura total transforma-os em indígenas com outros ideais diferentes de seus povos. Os estudos de Erving Goffman sobre estrutura total, os estudos de escritores indigenistas e indígenas sobre a dinâmica de internatos na região do alto rio Negro fundamentam o trabalho. 

Referências

ANDRELLO, Geraldo. Cultura ou parentesco? Reflexões sobre a história recente do alto rio Negro. R@U, Revista @ntropológica da UFSCAR, São Carlos, SP, v. 6, n. 1, p. 175-89, jan./jun. 2014.

BARRETO, Domingos. A FOIRN na história das políticas de educação. In: CABALZAR, Flora Dias (Org.). Educação Escolar Indígena do Rio Negro (1998-2011): relatos de experiência e lições aprendidas. São Paulo: Instituto Socioambiental; São Gabriel da Cachoeira, AM: Federação das Organizações Indígenas do Rio Negro – FOIRN, 2012. p. 58-61.

BARRETO, João Paulo Lima. Wai-Mahsa: peixes e humanos. Um ensaio de Antropologia Indígena. 2013. Dissertação (Mestrado em Antropologia Social) – PPGAS, UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAZONAS (UFAM), Manaus, AM, 2013.

BARRETO, João Rivelino Rezende. Formação e transformação de coletivos indígenas no noroeste amazônico: do mito à sociologia das comunidades. 2012. Dissertação (Mestrado em Antropologia Social) – PPGAS, Universidade Federal do Amazonas (UFAM), Manaus, AM, 2012.

CABALZAR, Aloisio; RICARDO, Carlos Alberto. Povos indígenas do alto e médio rio Negro: uma introdução à diversidade cultural e ambiental do noroeste da Amazônia brasileira. São Paulo: Instituto Socioambiental; São Gabriel da Cachoeira, AM: FOIRN – Federação das Organizações Indígenas do Rio Negro, 1998.

COSTA, Mauro Gomes da (Org.). A ação dos salesianos de Dom Bosco na Amazônia. São Paulo: Editora Salesiana, 2009.

GOFFMAN, Erving. Manicômios, prisões e conventos. São Paulo: Perspectiva, 1974.

LASMAR, Cristiane. Conhecer para transformar: os índios do rio Uaupés (Alto Rio Negro) e a educação escolar. Revista Tellus, Campo Grande, MS, ano 9, n. 16, p. 11-33, jan./jun. 2009.

REZENDE, Justino S. Da escola com os salesianos para a escola indígena. In: COSTA, Mauro Gomes da (Org.). A ação dos salesianos de Dom Bosco na Amazônia. São Paulo: Editora Salesiana, 2009.

SAMPAIO, Álvaro. Tempo de viver separado. In: CABALZAR, Flora Dias (Org.). Educação Escolar Indígena do Rio Negro: relatos de experiência e lições aprendidas. São Paulo: Instituto Socioambiental; São Gabriel da Cachoeira, AM: Federação das Organizações Indígenas do Rio Negro – FOIRN, 2012. p. 50-7.

TENÓRIO, Higino. Impactos das políticas linguísticas tuyuka. In: CABALZAR, Flora Dias (Org.). Educação Escolar Indígena do Rio Negro: relatos de experiência e lições aprendidas. São Paulo: Instituto Socioambiental; São Gabriel da Cachoeira, AM: Federação das Organizações Indígenas do Rio Negro – FOIRN, 2012. p. 134-45.

Publicado
2018-12-21