Prospecções: doutores indígenas e a autoria acadêmica indígena no Brasil contemporâneo

Palavras-chave: Autoria Acadêmica Indígena, Doutores Indígenas, Paisagem

Resumo

O trabalho discute a Autoria Acadêmica Indígena no Brasil Contemporâneo a partir da qual indígenas têm se tornado Doutores, interrogando-me sobre os sentidos que essa autoria assume contemporaneamente. Situando o fenômeno social estudado nos contornos das Sociedades Complexas Urbano-industriais, que abrnge fluxos intensos de trocas culturais em diversas esferas éticas, parti do pressuposto de que a Autoria Acadêmica Indígena conforma uma paisagem, pelas teias de significados que vai tramando.

Biografia do Autor

Inês Caroline Reichert, Universidade Feevale
Professora Doutora em Diversidade Cultural e Inclusão Social, trabalha acerca das questões que envolvem povos indígenas e processos de autoria. Ministra aulas nas áreas de História, História Indígena, Pré-história e Arqueologia e Educação na Universidade Feevale, Novo Hamburgo, RS.

Referências

ARRUTI, José Mauricio. Etnogêneses indígenas. In: RICARDO, Beto; RICARDO, Fany (Org.) Povos indígenas no Brasil: 2001-2005. São Paulo: Instituto Socioambiental, 2006, p. 50-54.

ATHIAS, Renato; PINTO, Regina Pahin (Org.). Estudos indígenas: comparações, interpretações e políticas. São Paulo: Contexto, 2008. (Série Justiça e Desenvolvimento).

BELTRÃO, Jane; CUNHA, Mainá Jailson Sampaio. Resposta à diversidade: políticas afirmativas para povos tradicionais, a experiência da universidade Federal do Pará. Espaço Ameríndio, Porto Alegre, v. 5, n. 3, p. 10-38, jul./dez. 2011. Disponível em: <http://seer.ufrgs.br/EspacoAmerindio/article/view/21822. >. Acesso em 20 nov. 2017.

BENGOA, José. La emergência indígena em America Latina. Santiago/Chile. Fondo de Cultural Econômica, 2000.

BERGAMASCHI, Maria Aparecida; KURROSCHI, Andreia Rosa da Silva. Estudantes indígenas no ensino superior: o programa de acesso e permanência na UFRGS. Políticas educativas, Porto Alegre, v. 6, n.2, p. 1-20, 2013.

BOURDIEU, Pierre. Os usos sociais da ciência: por uma sociologia clínica do campo científico. São Paulo: Unesp, 2004.

CABRAL, Ana Suelly Arruda Câmara et al. O observatório da educação escolar indígena e a experiência piloto de formação de mestres e doutores indígenas em linguística teórica, descritiva e histórica no Brasil. Revista Teoria e Prática da Educação, v. 16, n. 2, p. 157-168, mai./ago. 2013.

CARVALHO, Pedro C. Cova da Beira: ocupação e exploração do território na época romana. Coimbra: Fundão Editorial, 2007.

CATAFESTO DE SOUZA, José Otávio. Perspectivas ameríndias integradas ao universo acadêmico: o lugar dos indígenas na transformação polifônica da estrutura de ensino superior no Brasil. In: BERGAMASCHI, Maria Aparecida; NABARRO, Edilson; BENITES, Andréa. Estudantes indígenas no ensino superior: uma abordagem a partir da experiência na UFRGS. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2013, p. 113-127.

CORREA, Ângelo Alves. Longue durée: história indígena e arqueologia. Ciência e Cultura, São Paulo, v. 65, n. 2, p. 26-29, jun. 2013. Disponível em: <http://cienciaecultura.bvs.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0009-67252013000200011&lng=en&nrm=iso>. Acesso em: 05 fev. 2018.

CRIADO BOADO, Felipe Construcción social del espacio y reconstrucción arqueológica del paisaje. Bolétín de antropología americana - 24, 1991, p. 5-29.

EREMITES DE OLIVEIRA, Jorge. A história indígena no Brasil e em Mato Grosso do Sul. Espaço Ameríndio, Porto Alegre, v. 6, n. 2, jul./dez. 2012, p. 178-218.

FAGUNDES, Marcelo; PIUZANA, Danielle. Estudo teórico sobre o uso conceito de paisagem em pesquisas arqueológica. Revista Latinoamericana de Ciencias Sociales, Niñez y Juventud. Manizales: Centro de estudios avanzados en niñez y juventud alianza de la universidad de manizales y el cinde. vol. 8. n. 1. jan./jun. 2010.

FREITAS, Ana Elisa de Castro. Territórios ameríndios: espaços de vida nativa no Brasil meridional. In: BERGAMASCHI, Maria Aparecida (Org.). Povos Indígenas & Educação. Porto Alegre: Mediação, 2008.

GRAHAM, Laura. Citando Mário Juruna: imaginário linguístico e a transformação da voz indígena na imprensa brasileira. Maná, Rio de Janeiro, vol. 17, n. 2, p. 271-312, 2011. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/mana/v17n2/a02v17n2.pdf. Acesso em: 04 nov. 2017.

GRÜNEWALD, Rodrigo de Azeredo. Toré e Jurema: emblemas indígenas no Nordeste do Brasil. Ciência e Cultura. vol. 60, n. 4, São Paulo, oct. 2008. Disponível em: http://cienciaecultura.bvs.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0009-67252008000400018. Acesso em: 21 ago. 2017.

JURUNA, Mario; HOHFELDT, Antônio; HOFFMANN, Assis. O gravador do Juruna. Porto Alegre: Mercado aberto, 1982.

KERN, Arno Alvarez (Org). Arqueologia pré-histórica do Rio Grande do Sul. Porto Alegre: Mercado Aberto, 1991.

LUCIANO, Gersem José dos Santos. O índio brasileiro: o que você precisa saber sobre os povos indígenas no Brasil de hoje. Brasília: Ministério da Educação, Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade; Laced/Museu Nacional, 2006.

MARTIN, Gabriela. Pré-história do Nordeste. 2. ed. Recife: Editora Universitária – UFPE, 1997. 440 p.

NASCIMENTO, Rita Gomes do. Rita Gomes do Nascimento: depoimento verbal. Roda de Conversa “Políticas Afirmativas e a produção de conhecimentos nos PPGs”. Porto Alegre: FACED/UFRGS, 27 out. 2017.

OLIVEIRA, Amanda de. Ações afirmativas nos programas de pós-graduação: experiências, a nova portaria do MEC e seus desdobramentos. Rio de Janeiro: Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Educação (ANPED), 29 jul. 2016. Disponível em: http://www.anped.org.br/news/acoes-afirmativas-nos-programas-de-pos-graduacao-experiencias-nova-portaria-do-mec-e-seus. Acesso em: 20 nov. 2017.

OLIVEIRA, Kelly Emanuelly de. Diga ao povo que avance! Movimento indígena no Nordeste. Recife: Fundação Joaquim Nabuco, Editora Massangana, 2013.

OLIVEIRA, João Pacheco de. Uma etnologia dos "índios misturados"? Situação colonial, territorialização e fluxos culturais. Mana, Rio de Janeiro, v. 4, n. 1, p. 47-77, abr. 1998. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-93131998000100003. Acesso em: 22 nov. 2017.

OLIVEIRA, Roberto Cardoso de. O mal-estar da ética na antropologia prática. In: OLIVEN; Ruben George; MACIEL, Maria Eunice; ORO, Ari Pedro (Org.). Antropologia e ética: O debate atual no Brasil. Niterói: Eduff, 2004. p. 21-32.

ROCHA, Ana Luiza Carvalho da; ECKERT, Cornelia. Etnografia da duração nas cidades em suas consolidações temporais. política & trabalho. Revista de Ciências Sociais. n. 34, abr. 2011, p.107-126.Disponível em: http://periodicos.ufpb.br/index.php/politicaetrabalho/article/view/12185. Acesso em: 02 dez. 2017.

RODRIGUES, Aryon Dall'Igna. Sobre as línguas indígenas e sua pesquisa no Brasil. Ciência & Cultura, São Paulo, v. 57, n. 2, p. 35-38, jun. 2005. Disponível em: < http://cienciaecultura.bvs.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=s0009-67252005000200018&lng=en&nrm=iso>. Acesso em: 27 nov. 2017.

ROSEMBERG, Fúlvia. Ação afirmativa na pós-graduação: o programa internacional de bolsa da Fundação Ford na Fundação Carlos Chagas. São Paulo: FCC/SEP, 2013. Disponível em: < http://www.publicacoes.fcc.org.br/ojs /index.php/ textosfcc/article/download/2454/2408>. Acesso em: 14 out. 2016.

SACCHI, Ângela; GRAMKOW, Márcia Maria (Org.). Gênero e povos indígenas: coletânea de textos produzidos para o “fazendo gênero 9” e para a “27ª reunião brasileira de antropologia”. Rio de Janeiro: Museu do índio/GIZ/FUNAI. 2012.

TAIAIAKE ALFRED, George. Indigenous literatures in the Americas. International writers blog. Hay festival: Cartagena de Indias. Colômbia, fev. 2016. Disponível em: <http://blog.hayfestival.org/index.php/2016/02/taiaiake-alfred/>. Acesso em 11 jun. 2016.

VELHO, Gilberto. Projeto e metamorfose: antropologia das sociedades complexas. 3ª ed. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editores, 2003.

VIOTTI, Eduardo B; DAHER, Sofia; Queiroz, André S; et al. Mestres, doutores e os brasileiros de todos os níveis educacionais: revelações do censo 2010. In: ______. Mestres 2012: estudo da demografia da base técnico-científica brasileira. Brasília, DF. Centro de gestão e estudos estratégicos, 2012. Disponível em: < http://www.cgee.org.br/hotsites/mestres2012_downloads/tabelas_pdf/mestres2012_cap4.pdf>. Acesso em: 04 nov. 2017.

ZIMMERMANN, Tânia Regina; SERAGUZA, Lauriene; VIANA, Ana Evanir Alves. Relações de gênero e violência contra mulheres indígenas em Amamai – MS (2007-2013). Espaço Ameríndio. Porto Alegre, v. 9, n. 1, p. 105-126, jan./jun. 2015.

Publicado
2019-04-15
Seção
Dossiê 1: História Indígena, Etno-história e Indígenas Historiadoras/es: experiências descolonizantes, novas abordagens