Museus Kokama: Uma tática de reafirmação da identidade étnica no contexto amazônico

Palavras-chave: Kokama, Museu, Identidade étnica.

Resumo

A complexidade dos estudos sobre a cultura amazônica requer um olhar sensível para o reconhecimento das iniciativas e criações dos povos indígenas a fim de manter sua identidade étnica. Partindo de uma pesquisa bibliográfica e estudo qualitativo de natureza etnográfica, o presente trabalho tem como foco principal analisar a experiência de criação dos museus Kokama da cidade de Manaus-AM, como tática de resistência às alterações decorrentes do processo colonizador. Para isso, retoma-se à narrativa mítica de origem do homem Kokama, visto a importância de exposição desse tipo de manifestação cultural para a manutenção da identidade étnica desses agentes sociais. Em seguida, discorre-se sobre a criação dos Centros de Ciência sabres e Museus Vivos Kokama, Antônio Samias e Lua Verde, como tática de resistência e reafirmação da cultura e identidade, diante dos rastros deixados pela obliteração da língua Kokama. No decorrer da pesquisa, ficou evidente que a criação dos museus, a seleção dos artefatos e elementos simbólicos estão integrados ao processo de reafirmação da identidade, revalorização de saberes e tradições; na ampliação das fronteiras políticas na reivindicação por terra e direitos sociais, numa lógica oposta à que é proposta pelos museus convencionais.

Referências

ALMEIDA, Alfredo Wagner Berno. Catálogos do Centro de Ciências e Saberes Tradicionais Kokama Antônio Samias. In: ALMEIDA, Alfredo Wagner Berno; OLIVEIRA, Murana Arenillas (Org.). Museus indígenas e quilombolas: Centro de Ciências e Saberes. Manaus: UEA/Edições/PNCSA, 2017.

ALMEIDA, Rita Heloisa. O diretório dos índios: um projeto de “civilização” no Brasil do século XVIII. Brasília: Editora UnB, 1997.

BARTH, Fredrik. O guru, o iniciador e outras variações antropológicas. Tradução de John Cunha Comerford. Rio de Janeiro: Contra Capa, 2000.

CANEVACCI, Massimo. Comunicação museográfica: autorrepresentação, arte pública, culturas expandidas. In: CURY, Marília Xavier; VASCONCELLOS, Camilo de Melo; ORTIZ, Joana Monteiro (Org.). Questões indígenas e museus: debates e possibilidades. Brodowski: ACAM Portinari/MAE-USP/SEC, 2012.

CARVALHO JUNIOR, Almir Diniz. A invenção do índio na Amazônia nos relatos da Viagem Filosófica (1783-1792). In: CARVALHO JUNIOR, Almir Diniz; NORONHA, Nelson Matos (Org.). A Amazônia dos viajantes: história e ciência. Manaus: Editora da Universidade Federal do Amazonas, 2011.

CERTEAU, Michel de. A invenção do cotidiano: artes de fazer. 3.ed. Petrópolis: Vozes, 1998.

CHAGAS, Mário de Souza. Memória e poder: dois movimentos. Cadernos de Sociomuseologia, Lisboa, n. 19, 2000.

DIENES, Zoltan; GOLDING, Edward. Primeiros passos em matemática. São Paulo: Editora Herder, 1969. V. 2.

DERRIDA, Jacques; ROUDINESCO, Elisabeth. De que amanhã... Tradução: André Telles. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2004.

ELIADE, Mircea. Mito e Realidade. São Paulo: Perspectiva, 2013. (Coleção Debates).

ENGELS, Friedrich; GEERTZ, Clifford; LEONTIEV, Alexei Nikolaevich; BAUMAN, Zygmunt. O papel da cultura nas ciências sociais. Porto Alegre: Editorial Vila Martha, 1980.

FARIA, Ivani Ferreira de. Ecoturismo indígena, território, sustentabilidade, multiculturalismo: princípios para a autonomia. Orientadora: Regina Araújo de Almeida. 2007. 204 f. Tese (Doutorado em Geografia Física) – Universidade de São Paulo, São Paulo, SP, 2007.

LÉVI-STRAUSS, Claude. Mito e Significado. Lisboa: Edições 70, 1989.

LÉVI-STRAUSS, Claude. A oleira ciumenta. Tradução de Beatriz Perrone-Moisés. Brasiliensis: 1985.

LIMA, Antônio Caros de Sousa. Sobre tutela e participação: povos indígenas e formas de governo no Brasil, séculos XX/XXI. Mana, v. 21, n. 2, p. 425-57, 2015.

LIMA, Roberta Enir Faria Neves de. Relações étnicas no alto Rio Negro: Yanonami Peripo Iyë os filhos da lua. Orientadora: Renilda Aparecida. 2016. 138f. Dissertação (Mestrado em Sociedade e Cultura) – Universidade Federal do Amazonas, Manaus, AM, 2016.

NIETZSCHE, Friedrich. Genealogia da Moral: uma polêmica. Tradução de Paulo César de Souza. São Paulo: Companhia das Letras, 1998.

OLIVEIRA, Roberto Cardoso de. O Trabalho do Antropólogo: olhar, ouvir, escrever. Revista de antropologia, São Paulo, v. 39, n. 1, p. 13-37, 2000.

PACHECO DE OLIVEIRA, João. A refundação do Museu Magüta: etnografia de um protagonismo indígena. In: MAGALHÃES, Aline Montenegro; BEZERRA, Rafael Zamorano (Org.). A polissemia das práticas. Rio de Janeiro: Museu Histórico Nacional, 2012. (Coleções e colecionadores).

PIZARRO, Ana. Amazônia: as vozes do rio. Tradução Rômulo Monte Alto. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2012.

PLATÃO. Protágoras. Tradução de Carlos Alberto Nunes. Belém: Editora da Universidade Federal do Pará, 1980.

RAMINELLI, Ronald; SILVA, Bruno da. Teorias e imagens antropológicas na Viagem Filosófica de Alexandre Rodrigues Ferreira (1783-1792). Boletim do Museu Paraense Emílio Goeldi, Belém, v. 9, n. 2, p. 323-42, maio/ago. 2014. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/bgoeldi/v9n2/a05v9n2.pdf. Acesso em: 27 dez. 2018.

ROCA, Andrea. Acerca dos processos de indigenização dos museus: uma análise comparativa. Mana, Rio de Janeiro, v. 21, n. 1, p. 123-55, 2015.

ROCHA, Ana Luiza Carvalho da; ECKERT, Cornélia. Etnografia: saberes e práticas. In: PINTO, Celi Regina Jardim; GUAZELLI, Cézar Augusto Barcellos. Ciências Humanas: pesquisa e métodos. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2008.

RUBIM, Altaci Corrêa. O reordenamento político e cultural do povo Kokama: a reconquista da língua e do território além das fronteiras entre o Brasil e Peru. Orientadora: Enilde Faulstich. 2016. 323f. Tese (Doutorado em Linguística) – Universidade de Brasília, Brasília-DF, 2016.

RUBIM, Altaci Corrêa. Os Museus Vivos Kokama em Manaus-AM. In: ALMEIDA, Alfredo Wagner Berno; OLIVEIRA, Murana Arenillas (Org.). Museus indígenas e quilombolas: Centro de Ciências e Saberes. Manaus: UEA/Edições/PNCSA, 2017a.

RUBIM, Altaci Corrêa. Professores indígenas e processos de territorialização na cidade de Manaus/AM/Brasil. América Crítica, v. 1, n. 2, p. 67-92, 2017b.

SILVA, Marilene Corrêa. O país do Amazonas. 3.ed. Manaus: Editora Valer, 2012.

SPIVAK, Gayatri Chakravorty. Pode o subalterno falar? Belo Horizonte: Editora UFMG, 2010.

VIEIRA, José Maria Trajano. A luta pelo reconhecimento étnico dos Kokama na tríplice fronteira Brasil/Colômbia/Peru. Orientador: Mauro William Barbosa de Almeida. 2016. 297f. Tese (Doutorado em Filosofia e Ciências Humanas) – Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2016.

VIEIRA NETO, João Paulo; PEREIRA, Eliete. Povos indígenas no Brasil, museus e memória: questões emergentes. Revista do Centro de Pesquisa e Formação, n. 5, set. 2017. Disponível em: https://www.sescsp.org.br/files/artigo/.../41aa/.../e568bbc853fc.pdf. Acesso em: 20 abr. 2018.

Publicado
2019-11-27