O caso Tapirapé: uma escola indígena frente às políticas públicas

  • Eunice Dias de Paula

Resumo

Este artigo aborda a problemática vivenciada por uma escola indígena – a Escola Tapirapé – que se defronta cotidianamente com exigências impostas pelo sistema educacional brasileiro. Em que pese o aparato jurídico-legal implantado desde a Constituição Federal de 1988, esta e outras escolas indígenas enfrentam dificuldades para assegurar um modelo de escola que respeite as especificidades de cada povo indígena.As políticas públicas destinadas aos povos indígenas, via de regra, ainda se pautam por práticas colonialistas que não reconhecem os indígenas como interlocutores capazes de criar e gerenciar modelos de escolas adequados às suas realidades socioculturais. Ao contrário, a oficialização das escolas indígenas pelos órgãos estatais tem resultado em práticas de enquadramento destas escolas aos modelos vigentes na sociedade brasileira.
Publicado
2014-11-25
Seção
Artigos