De aculturados a índios com cultura: estratégias de representação do movimento de professores tapebas em zonas de contato

  • Max Maranhão Piorsky Aires

Resumo

Este artigo analisa duas situações: a estratégia de “resgate” da história e cultura da Igreja Católica que acreditou poder salvar os tapebas do suposto processo de aculturação, por volta de meados da década de 1980. Num segundo momento, é feita uma análise do período posterior e recente que diz respeito à emergência do professor indígena como figura chave da mobilização étnica. A intenção é explorar os discursos e práticas empregados para representar as populações indígenas no Ceará e, também, o modo como estas representações são apropriadas pelos professores tapebas, de Caucaia, Ceará, no Nordeste brasileiro.
Publicado
2014-11-25
Seção
Artigos