Labirinto de colonialidades e transformações ambientais em terras indígenas em Mato Grosso do Sul

  • Verônica Maria Bezerra Guimarães Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD)
Palavras-chave: terras indígenas, Mato Grosso do Sul, transformações ambientais.

Resumo

A partir de análises da história, da sociologia e da antropologia ambiental, o presente trabalho busca compreender os processos de degradação ambiental das terras indígenas no sul do Mato Grosso do Sul, através de um estudo de caso realizado na terra indígena  Te’ýkue, localizada no município de Caarapó, Mato Grosso do Sul. Para o estudo de caso, foi realizado trabalho de campo com adoção de técnicas de observação direta, conversas, depoimentos gravados e transcritos, diários de campo, caminhadas, registro de fotografia e participação em encontros de professores indígenas. A população de estudo está caracterizada através de grupos representativos de: idosos, rezadores, professores e lideranças. Os processos de degradação ambiental da terra ou da natureza devido às atividades econômicas hegemônicas que geraram o “desenvolvimento” regional não foram capazes de apagar os saberes sobre a terra, e esta junto com os povos resistem na sua diversidade, muitas vezes “ilhados” face às paisagens e mentalidades monoculturais. Mesmo diante de séculos de colonização com suas atividades econômicas degradadoras, as terras indígenas Guarani-Kaiowá guardam respostas inspiradoras para a ideia de sustentabilidade.

Biografia do Autor

Verônica Maria Bezerra Guimarães, Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD)
Mestre em Direito Público pela UFPE. Doutora em Desenvolvimento Sustentável pela Unb. Professora Adjunta na UFGD.

Referências

BERGER, Peter L.; LUCKMANN, Thomas. A construção social da realidade. 35. ed. Petrópolis: Vozes, 2013.

BRAND, Antonio Jacó. O confinamento e o seu impacto sobre os Pãi/Kaiowa. 1993. Dissertação (Mestrado em História) – Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS, 1993.

______. O impacto da perda de terra sobre a tradição Kaiowa/Guarani: os difíceis caminhos da palavra. 1997. Tese (Doutorado em História) – Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS, 1997.

______. Os Kaiowá/Guarani no Mato Grosso do Sul e o processo de confinamento – a “entrada de nossos contrários”. In: CONSELHO INDIGENISTA MISSIONÁRIO (CIMI); COMISSÃO PRÓ-ÍNDIO DE SP; PROCURADORIA REGIONAL DA REPÚBLICA DA 3ª REGIÃO (Org.). Conflitos de direitos sobre as Terras Guarani Kaiowá no estado do Mato Grosso do Sul. São Paulo: Palas Athena, 2001.

BRASIL. Decreto 80.762, de 10 de novembro de 1979. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Poder Executivo, Brasília, DF, 11 dez.1979.

______. Decreto 75.593, de 11 de novembro de 1975. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Poder Executivo, Brasília, DF, 12 nov.1975.

CARDOSO DE OLIVEIRA, Roberto. A sociologia do Brasil indígena. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 1978.

CASANOVA, Pablo González. Colonialismo interno (uma redefinição). In: BORON, Atílio A; AMADEO, Javier; GONZÁLEZ, Sabrina. A teoria marxista hoje: problemas e perspectivas. São Paulo: CLACSO, 2007.

COUTINHO JR, Walter. Relatório sobre a identificação e delimitação da Terra Indígena Sucuri´y. Brasília: FUNAI, 1995.

DEAN, Warren. A ferro e a fogo: a história e a devastação da mata atlântica brasileira. São Paulo: Companhia das Letras, 1996.

DRUMMOND, José Augusto. Por que estudar a história ambiental do Brasil? Ensaio temático. Revista Varia História, Rio de Janeiro, n. 26, p. 13-32, 2002.

ESCOBAR, Arturo. Epistemologías de la naturaleza y colonialidad de la naturaleza. Variedades de realismo y constructivismo. In: MARTÍNEZ, Leonardo Montenegro (Ed.). Cultura y naturaleza. Bogotá: Jardín Botánico de Bogotá, José Celestino Mutis, 2011.

FIAN INTERNACIONAL. Os agrocombustíveis no Brasil: informe da missão de investigação sobre os impactos das políticas públicas de incentivo aos agrocombustíveis sobre o desfrute dos direitos humanos à alimentação, ao trabalho e ao meio ambiente, das comunidades campesinas e indígenas e dos trabalhadores rurais no Brasil. 2008. Disponível em: <http:www.fian.org>. Acesso em: 30 jul. 2014.

HANNIGAN, John. Sociologia ambiental. Petrópolis: Vozes, 2009.

MOREIRA DA SILVA, Lásaro. A legitimidade do processo de retomada das terras tradicionais pelos índios Kaiowá e Ñandéva em Mato Grosso do Sul. 2002. Dissertação (Mestrado Interinstitucional em Direito Constitucional) - Centro Universitário da Grande Dourados (UNIGRAN)/Universidade de Brasília (UnB), Brasília, 2002.

MURA, Fabio. Por que fracassam os projetos de desenvolvimento entre os Guarani de Mato Grosso do Sul? Notas críticas para uma política de sustentabilidade. Revista Tellus, Campo Grande, ano 5, n. 8/9, p. 53-72, abr./out. 2005.

PÁDUA, José Augusto. Um sopro de destruição: pensamento político e crítica ambiental no Brasil escravista (1786-1888). Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2002.

______. A história ambiental como fronteira interdisciplinar: aspectos teóricos e metodológicos. In: FRANCO, José Luiz de Andrade; DUTRA E SILVA, Sandro; DRUMMOND, José Augusto; TAVARES, Giovana Galvão (Org.). História Ambiental: fronteiras, recursos naturais e conservação da natureza. Rio de Janeiro: Garamond, 2012.

PEREIRA, Joelson Gonçalves; COMAR, Mário Vito; MACEDO, Gabriela Zacarias (Org.). Atlas socioambiental do território da Grande Dourados. Dourados: IMAD, 2012.

PIMENTEL, Spensy Kimitta. Elementos para uma teoria política Kaiowá e Guarani. 2012. Tese (Doutorado em Antropologia Social) - Universidade de São Paulo, São Paulo, SP, 2012.

QUIJANO, Aníbal. Colonialidad del poder, eurocentrismo y América Latina. In: LANDER, Edgardo (Org.). La colonialidad del saber: eurocentrismo y ciencias sociales. Buenos Aires: CLACSO, 2000.

REZENDE, Astolpho. O Estado de Matto-Grosso e as supostas terras do Barão de Antonina. Rio de Janeiro: S. Monteiro & Cia Ltda, 1924 apud COUTINHO JR, Walter. Relatório sobre a identificação e delimitação da Terra Indígena Sucuri´y. Brasília: FUNAI, 1995.

SCHNEIDER, Sergio. Reflexões sobre diversidade e diversificação agricultura, formas familiares e desenvolvimento rural. Revista Ruris, Campinas, v. 4, n. 1, p. 85-131, mar. 2010.

TODOROV, Tzvetan. A conquista da América: a questão do outro. 4. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2010.

WORSTER, Donald. Para fazer história ambiental. Revista Estudos Históricos, Rio de Janeiro, v. 4, n. 8, p. 198-215, 1991.

Publicado
2018-08-20