Percepções Paiter Suruí sobre legislações da Educação Escolar Indígena: entrelaçamentos de conquista e crítica

Palavras-chave: escola indígena, Paiter Suruí, anciãos, legislação

Resumo

O presente artigo busca comunicar saberes que foram produzidos a partir de uma pesquisa desenvolvida nos anos de 2018 e 2019 junto ao povo indígena Paiter Suruí da Aldeia Apoena Meirelles, da terra indígena Sete de Setembro, no Estado de Mato Grosso. Teve como principal objetivo registrar as percepções de anciãos da etnia mencionada sobre a escola indígena, bem como descrever de que forma percebiam as principais legislações voltadas à Educação Escolar Indígena. Em termos metodológicos, a pesquisa constituiu-se numa perspectiva qualitativa de ascendência em bricolagem (KINCHELE; BERRY, 2007). Inspirados no trabalho de Silveira (2007), realizamos entrevistas interativas com anciãos a respeito das legislações educacionais. Os resultados mostraram que os Paiter Suruí observam a escola como um espaço de conquista, espaço que necessita continuar se aproximando dos pressupostos legais.

Biografia do Autor

Genivaldo Frois Scaramuzza, UNIR/RO

Doutor em Educação. Professor da Universidade Federal de Rondônia (UNIR).

Romero Mopidapenen Paiter Suruí, Secretaria Estadual de Educação - SEDUC - MT

Professor indígena. Graduado em Educação Intercultural pela Universidade Estadual de Mato Grosso (UNEMAT). Mestrando em Ensino em Contextos Indígena Intercultural (UNEMAT). Especialista em Educação Indígena pela Universidade Federal de Rondônia (UNIR).

Maria Isabel Alonso Alves, Universidade Federal do Amazonas - UFAM

Doutora em Educação. Professora da Universidade Federal do Amazonas (UFAM).

Referências

ASSIS, Wendell Ficher Teixeira. Do colonialismo à colonialidade: expropriação territorial na periferia do capitalismo. Cadernos CRH, Salvador, BA, v. 27, n. 72, p. 613-27, set./dez. 2014.

BANIWA, Gersem. Educação escolar indígena no Brasil: avanços, limites e novas perspectivas. In: REUNIÃO NACIONAL DA ANPEd, 36., 29 set.-2 out. 2013, Goiânia, GO. Disponível em: http://36reuniao.anped.org.br/pdfs_trabalhos_encomendados/gt21_trabalhoencomendado_gersem.pdf .

BANIWA, Gersem. Os desafios da educação indígena intercultural no Brasil: avanços e limites na construção de políticas públicas. In: NOTZOLD, Ana Lúcia Vulfe; ROSA, Helena Alpini; BRINGMANN, Sandor Fernando (Org.). Etnohistória, história indígena e educação: contribuições ao debate. Porto Alegre: Pallotti, 2012.

BAUMAN, Zygmund. Legisladores e intérpretes: sobre modernidade, pós-modernidade e intelectuais. Rio de Janeiro: Zahar, 2010.

BERGAMASCHI, Maria Aparecida. Povos indígenas: conhecer para respeitar. In: BERGAMASCHI, Maria Aparecida (Org.). Povos indígenas & educação. Porto Alegre: Mediação, 2008.

BONIN, Iara Tatiana. Educação escolar indígena e docência: princípios e normas da legislação em vigor. In: BERGAMASCHI, Maria Aparecida (Org.). Povos indígenas & educação. Porto Alegre: Mediação, 2008. p. 95-107.

BRASIL. Decreto n. 5.051, de 19 de abril de 2004. Promulga a Convenção n. 169 da Organização Internacional do Trabalho - OIT sobre Povos Indígenas e Tribais. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2004-2006/2004/decreto/d5051.htm .

GRUPIONI, Luís Donisete Benzi. Livros didáticos e fontes de informações sobre as sociedades indígenas no Brasil. In: SILVA, Aracy Lopes da; GRUPIONI, Donisete Benzi (Org.). A temática indígena na escola: novos subsídios para professores de 1º e 2º graus. Brasília: MEC/MARI/UNESCO, 2002.

HALL, Stuart. A centralidade da cultura: notas sobre as revoluções culturais do nosso tempo. Educação & Realidade, Porto Alegre, v. 22, n. 2, p. 15-46, jun./dez. 1997.

KINCHELOE, Joe L.; BERRY, Kathleen S. Pesquisa em educação: conceituando a bricolagem. Porto Alegre: Artmed, 2007.

NASCIMENTO, Adir Casaro; VINHA, Marina. A educação intercultural e a construção da escola diferenciada indígena na cultura Guarani-Kaiowá. In: BRUNO, Marilda Moraes Garcia; SUTANA, Renato (Org.). Educação, diversidade e fronteiras de in/exclusão. Dourados, MS: Editora da UFGD, 2012.

NEVES, José Luiz. Pesquisa qualitativa: possibilidade, usos e significados. Caderno de Pesquisa em Administração, São Paulo, v.1, n. 3, p. 1-5, 2º sem. 1996.

PARAISO, Marlucy Alves. Metodologias de pesquisas pós-críticas em educação e currículo: trajetórias, pressupostos, procedimentos e estratégias analíticas. In: MEYER, Dagmar Estermann; PARAISO, Marlucy Alves (Org.). Metodologias de pesquisas pós-críticas em educação. Belo Horizonte: Mazza Edições, 2012. p. 23-45.

PESSOA, Maria do Socorro. O esboço histórico-etnográfico-linguístico de um povo indígena. Revista A Cor das Letras, Feira de Santana, BA, v. 5, n. 1. p. 130-145, 2004.

QUIJANO, Anibal. Colonialidade do poder, eurocentrismo e América Latina. In: LANDER, Edgardo (Org.). A colonialidade do saber: eurocentrismo e ciências sociais. Buenos Aires: Clacso, 2005.

QUIJANO, Anibal. Notas sobre a questão da identidade e nação no Peru. Estudos Avançados, São Paulo, v. 6, n. 16, p. 73-80, set./dez. 1992.

SILVA, Elizângela Cardoso de Araújo. Povos indígenas e direito à terra na realidade brasileira. Serviço Social & Sociedade, São Paulo, n. 133, p. 480-500, set./dez. 2018.

SILVA, Nathália Thaís Cosmo da; FERREIRA NETO, José Ambrósio. A monetarização da vida social dos Paiter Suruí. Boletim do Museu Paraense Emílio Goeldi. Ciências Humanas, Belém, PA, v. 9, n. 1, p.163-81, jan./abr. 2014.

SILVEIRA, Rosa Maria Hessel. A entrevista na pesquisa em educação – uma arena de significados. In: COSTA, Marisa Vorraber (Org.). Caminhos investigativos II: outros modos de pensar e fazer pesquisa em educação. Rio de Janeiro: Lamparina, 2007.

STRAUSS, Anselm; CORBIN, Júliet. Pesquisa qualitativa: técnicas e procedimentos para o desenvolvimento da teoria fundamentada. Porto Alegre: Artmed, 2008.

Publicado
2019-09-30