A saga dos Akroá nas fronteiras do sertão

  • Juciene Ricarte Apolinário

Resumo

Ao ser arrolada a documentação colonial encerrada no Arquivo Histórico Ultramarino, Lisboa – Portugal, das capitanias de Goiás e Piauí, visualizaram-se as práticas da política indigenista e de resistência do povo Akroá como processos políticos dinâmicos, formados pela interação de atores coloniais, índios e não-índios. No presente trabalho utilizaram-se os nortes histórico-antropológicos, na tentativa de se contribuir para as novas interpretações da história dos povos indígenas em contato com os colonizadores no período que corresponde ao século XVIII.
Publicado
2014-11-19
Seção
Artigos