História Ambiental no Alto Solimões, Amazonas: construções e (re)construções em comunidades indígenas e ribeirinhas a partir da dinâmica da vida e do trabalho

Palavras-chave: Amazônia, conservação, sustentabilidade, populações tradicionais

Resumo

O presente artigo é parte do trabalho de tese de doutorado em Ciências do Ambiente e Sustentabilidade na Amazônia e descreve o processo de construção e reconstrução histórica, ambiental, econômica, cultural e social de comunidades indígenas e ribeirinhas Amazônicas. Apresenta ainda, o saber destas comunidades como sustentáculo do manejo dos bens comuns e do sistema ambiental, apreendido em um passado vivenciado através das gerações, assim como na dinâmica da vida e do trabalho. A base metodológica utilizada foi a complexidade sistêmica e o estudo de múltiplos casos, complementada por diversas técnicas de análise e instrumentos de coleta de dados, dentre elas: observação direta do cotidiano, reuniões, oficinas, entrevistas, registro fotográfico e gravação de áudios, trilhas culturais, mapas mentais, grupos focais e diários de campo. Os casos escolhidos foram as comunidades indígena de Nova Aliança e ribeirinha de São José, localizadas no município de Benjamin Constant, região do Alto Rio Solimões, Amazonas, Brasil. Os levantamentos e as análises dos dados coletados em campo evidenciaram que nas duas comunidades, relações de parentesco, reciprocidade, topofilia, uso do solo, a cultura, os bens comuns e o sistema ambiental como um todo, são os princípios que norteiam o modo de vida e o cotidiano de trabalho dos indígenas de Nova Aliança e dos ribeirinhos de São José, desde sua origem. E é por meio deles que os moradores destas comunidades vêm construindo, transformando e expressando as suas relações sociais e suas ações, frente às emergências que surgem.

Biografia do Autor

Marcileia Lopes, Universidade Federal do Amazonas (UFAM)

Doutora em Ciências Ambientais e Sustentabilidade na Amazônia. Professora de Carreira da Universidade Federal do Amazonas (UFAM), lotada no Departamento de Ciências Florestais da Faculdade de Ciências Agrárias. Ministra as disciplinas de Perícia Florestal/Ambiental e Ética e Legislação Profissional para os alunos do curso de Engenharia Florestal e Agronomia.

Hiroshi Noda, do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (INPA)

Doutorado e mestrado em Genética e Melhoramento de Plantas pela Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (Esalq). Graduação em Engenharia Agronômica pela Esalq, da USP; e em Licenciatura em Filosofia pela Universidade Católica de Santos. Atualmente é Pesquisador Titular Aposentado do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (INPA), pesquisador dos grupos de pesquisa do Núcleo de Estudos Rurais e Urbanos Amazônicos (NERUA), da Coordenação Sociedade, Ambiente e Saúde do INPA, e do Núcleo de Etnoecologia na Amazônia Brasileira (NETNO) da Faculdade de Ciências Agrárias da Universidade Federal do Amazonas (UFAM). É docente do quadro permanente do Curso de Pós-graduação Ciências do Ambiente e Sustentabilidade na Amazônia do Centro de Ciências do Ambiente da UFAM e do Programa de Pós-Graduação em Agricultura no Trópico Úmido do INPA.

Referências

ATAÍDE, L. Tabatinga: crônicas fronteiriças. Editorial Gente Nueva, 2017. 107 p.

BARBOSA, E. B.; BATISTA, J. R.; PIMENTA, H. S. Agricultura familiar: características, importância, pluriatividade, multifuncionalidade e perspectivas dentro e fora da Amazônia, Observatorio de la Economía Latinoamericana, [s.l.], n. 193, 2014.

BAUMAN, Z. Ensaios sobre o conceito de cultura. Rio de Janeiro: Zahar, 2012.

BORGATTI, S. P. Netdraw Network Visualization. Analytic Technologies. Harvard, MA, 2002.

BORGATTI, S. P.; EVERETH, M. G.; JOHSON, J. C. Analyzing Social Networks. London: Sage Publications UK, 2013.

BRAUDEL, F. O Mediterrâneo e o mundo mediterrânico na época de Felipe II. Lisboa: Dom Quixote, 1995.

BRAULIO, O. B. Educação Escolar Ticuna: uma descrição do universo educacional e cultural na escola Ebenezer, em Filadélfia, Benjamin Constant (AM). 2017. Dissertação (Mestrado em Antropologia Social) – Universidade Federal do Amazonas (UFAM), Manaus, AM, 2017.

BROWN, D. E. Human universals. Philadelphia: Temple University Press, 1991.

BRUNO, R. O ethos da propriedade da terra no Brasil. In.: LIMA, E. N; DELGADO, N. G.; MOREIRA, R. J. (Org.). Mundo Rural IV: configurações rural-urbanas – poderes e políticas. Rio de Janeiro: Mauad/EDUR, 2007. p. 57-68.

CARDOSO, T. M. O saber biodiverso: práticas e conhecimento na agricultura indígena do baixo Rio Negro. Manaus, AM: Universidade Federal do Amazonas; EDUA, 2010. 190 p.

CARVALHO, A. L. Terras caídas e consequências sociais: Costa do Miracauera – Paraná da Trindade, Município de Itacoatiara – AM, Brasil. 2006. Dissertação (Mestrado em Sociedade e Cultura na Amazônia) – Universidade Federal do Amazonas, Manaus, AM, 2006.

CASTRO, A. P.; SILVA, S. C. P.; PEREIRA, H. S.; FRAXE, T. J. P.; SANTIAGO, J. L. A agricultura familiar: principal fonte de desenvolvimento socioeconômico e cultural das comunidades da área focal do projeto Piatam. In: FRAXE, T. J. P.; PEREIRA, H. S.; WITKOSKI, A. C. (Org.). Comunidades ribeirinhas amazônicas: modos de vida e uso dos recursos naturais. Manaus: EDUA, 2007. p. 55-8.

DÁCIO, A. I. C. Segurança alimentar e conservação nos agroecossistemas do Alto Solimões, Amazonas. 2017. Tese (Doutorado em Ciências do Ambiente e Sustentabilidade na Amazônia) – Universidade Federal do Amazonas, Manaus, AM, 2017.

DÁCIO, A. I. C.; NODA, H. Lugares de terra e de água dos Kokama de Nova Aliança, Alto Solimões, Amazonas. Tellus, Campo Grande, MS, ano 18, n. 37, p. 59-87, set./dez. 2018.

DELGADO, G. C.; BERGAMASCO, S. M. P. P. (Org.). Agricultura familiar brasileira: desafios e perspectivas de futuro. Brasília, DF: Ministério do Desenvolvimento Agrário, 2017.

DIEGUES, A. C. Repensando e recriando as formas de apropriação comum dos espaços e recursos naturais. In: DIEGUES, A. C. Gestão de Recursos Naturais Renováveis e Desenvolvimento – novos desafios para a pesquisa ambiental. São Paulo: Cortez, 2002.

DIEGUES, A. C.; ARRUDA, R. (Org.). Saberes tradicionais e biodiversidade no Brasil. Brasília, DF: Ministério do Meio Ambiente [MMA]; Secretaria de Biodiversidade e Florestas; Universidade de São Paulo [USP]; Núcleo de Pesquisas sobre Populações Humanas e Áreas Úmidas do Brasil [NUBAUB), 2001.

FLINN, M. V. Evolutionary Anthropology of the Human Family. Edited by Todd K. Shackelford and Catherine A. Salmon. The Oxford Handbook of Evolutionary Family Psychology, 2011. DOI: http://10.1093/oxfordhb/9780195396690.013.0002

FUNDAÇÃO NACIONAL DE SAÚDE [FUNASA]. Ministério da Saúde. População Indígena – Relatório. Portal FUNASA, Brasília, DF, 2010. Disponível em: http://www.www.funasa.gov.br. Acesso em: 10 jun. 2018.

GUARESCHI, P. A cruz e o poder: a Irmandade da Santa Cruz no Alto Solimões. Editora: Vozes, 1985.

HALL, S. The work of representation. In: HALL, S. (Org.). Representation Cultural representation and cultural signifying practices. London/Thousand Oaks/New Delhi: Sage/Open University, 1997.

HANNEMAN, R. A.; RIDDLE, M. Introduction to social Networks Methods. Riverside, C.A.: University of California, 2005. Disponível em: http://faculty.ucr.edu/~hanneman/. Acesso em: 23 mar. 2019.

HEBERLÊ, A. L. O.; SICOLI, A. H.; SILVA, J. S.; BORBA, M. F. S.; BALSADI, O. V.; PEREIRA, V. F. Agricultura familiar e pesquisa agropecuária: contribuições para uma agenda de futuro, In: DELGADO, G. C.; BERGAMASCO, S. M. P. P. Agricultura familiar brasileira: desafios e perspectivas de futuro. Brasília, DF: Ministério do Desenvolvimento Agrário, 2017. p. 131-149.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA [IBGE]. Estimativa da população dos municípios para 2018. Portal IBGE, Rio de Janeiro, 2018. Disponível em: http://www.ibge.gov.br/estatistica/população/. Acesso em: 11 set. 2018.

INSTITUTO SOCIOAMBIENTAL [ISA]. Povos Indígenas do Brasil, 2018. Disponível em: https://www.socioambiental.org/pt-br/o-isa/programas/povos-indigenas-no-brasil. Acesso em: 11 set. 2018.

JUNK, W. J.; OHLY, J. J.; PIEDADE, M. T. F.; SOARES, M. G. M. The Central Amazon Floodplain: actual use and options for a sustainable management. Leiden: Backhuys Publishers, 2000.

LÓPEZ GARCÉS, C. L. Ticunas brasileros, colombianos y peruanos: etnicidad y nacionalidad en la región de fronteras del alto Amazonas/Solimões. 2005. Tese (Doutorado em Antropologia) – Universidade de Brasília (CEPPAC/UNB), Brasília, DF, 2005.

MARTINS, A. L. U. Conservação da Agrobiodiversidade: saberes e estratégias da agricultura familiar na Amazônia. 2016. Tese (Doutorado em Ciências do Ambiente e Sustentabilidade na Amazônia) – Universidade Federal do Amazonas, Manaus, AM, 2016.

MATTA, P. Relatório de identificação e delimitação da terra indígena Sururuá. Fundação Nacional do Índio (FUNAI), 2003. [Diário Oficial da União, Brasília, DF, Governo Federal, de 20 maio 2008].

MATURANA, H. A.; VARELA, F. A árvore do conhecimento. São Paulo: Palas Athena, 2001. 283 p.

MAUCH, C.; ROBIN, L. Os limites da história ambiental: uma homenagem a Jane Carruthers. Munique, Germany: RCC Perspectives, 2014.

MORIN, E. Ciência com Consciência. 7. ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2005. 350 p.

NODA, S. N. Notas de aula: epistemologia ambiental. 2016. Trabalho apresentado ao curso de pós-graduação em Ciência do Ambiente e Sustentabilidade na Amazônia, Centro de Ciências do Ambiente, Universidade Federal da Amazônia (UFAM), 2016.

NODA, S. N. Na terra como na água: organização e conservação de recursos naturais terrestres e aquáticos em uma comunidade da Amazônia Brasileira. 182f. Tese (Doutorado em Ecologia) – Instituto de Biociências, Universidade Federal de Mato Grosso, Cuiabá, MT, 2000.

NODA, S. N.; MARTINS, A. L. U.; NODA, H.; SILVA, A. I. C.; BRAGA, M. D. S. Paisagens e etnoconhecimentos na agricultura Ticuna e Cocama no alto rio Solimões, Amazonas. Boletim do Museu Paraense Emílio Goeldi, Belém, v. 7, n. 2, p. 397-416, maio/ago. 2012.

NODA, S.; NODA, H; MARTINS, A. L. U. Agricultura familiar a várzea amazônica: espaço de conservação da diversidade cultural e ambiental. In: SCHERER, E.; OLIVEIRA, J. A. (Org.). Amazônia: políticas públicas e diversidade cultural. Rio de Janeiro: Garamond, 2006. p. 163-94.

NODA, H.; NODA, S. N.; MARTINS, L. H. P.; MARTINS, A. L. U.; SILVA, A. I. C. Etnoecologia de paisagens agrícolas nas várzeas na região do Alto Solimões. In.: NODA, H.; NODA, S. N.; LAQUES, A.; LÉNA, P. (Org.). Dinâmicas socioambientais na agricultura familiar na Amazônia. Manaus, AM: WEGA, 2013.

ORO, A. P.; FRIGERIO, A. Fora das fronteiras. História Viva, São Paulo, v. 6, p. 76-9, 2007.

PEREIRA, H. S.; SOUZA, D. S. R.; RAMOS, M. M. A diversidade da pesca nas comunidades da área focal do PIATAM. In: FRAXE, T. J. P.; PEREIRA, H. S.; WITKOSKI, A. C. (Org.). Comunidades ribeirinhas amazônicas: modos de vida e uso dos recursos naturais. Piatam. Manaus: EDUA, p. 171-95. 2007.

PINHEIRO, G. S. R. Agricultor familiar e projeto agroecológico de vida. In: BRANDENBURG, A. et al. Ruralidades e questões ambientais: estudo sobre estratégias, projetos e políticas. Brasília, DF: MDA, 2007.

REGAN, J. Hacia la tierra sin mal – la religión del pueblo en la Amazonía. Peru, Iquitos: Centro de Estudios Teológicos de La Amazonía [CETA], 1993.

RICOVERI, G. Bens comuns versus mercadoria. 1a. ed. trad. Rio de Janeiro: Editora Multifoco, 2012.

RODRIGUES, P. M. A. Homens e mulheres nas beiras: etnoeconomia e sustentabilidade no Alto Rio Solimões. 2008. Dissertação (Mestrado em Ciências do Ambiente e Sustentabilidade na Amazônia) – Centro de Ciências do Ambiente, Universidade Federal do Amazonas, Manaus, AM, 2008.

SABOURIN, E. Manejo dos recursos comuns e reciprocidade: os aportes de Elinor Ostrom ao debate. Revista Sustentabilidade em Debate, Brasília, v. 1, n. 2, p. 143-58, dez. 2010.

SCHNEIDER, S. Teoria social, agricultura familiar e pluriatividade. Revista Brasileira de Ciências Sociais, São Paulo, v. 18, n. 51, p. 100-21, 2003.

SEMPRINI, A. Multiculturalismo. São Paulo: EDUSC, 1999.

SILVANO, R. A. M.; BEGOSSI, A. Ribeirinhos e caiçaras: a vida entre a terra e a água. Revista Eletrônica de Jornalismo Científico – Com Ciência, Campinas, dossiê 193, nov. 2017. Disponível em: http://www.comciencia.br/ribeirinhos-e-caicaras-vida-entre-terra-e-agua/

SOUZA, A. S. N. D.; OLIVEIRA, J. A. R. K. Campesinos peruanos em Benjamin Constant no Amazonas – Brasil. Sociedade e Território, Natal, v. 27, n. Edição Especial I – XXII ENGA, p. 61-78, 2015.

SOUZA, D. C. Etnoconservação ambiental em São José, região do Alto Solimões, AM. 2018. 91 p. Dissertação (Mestrado em Ciências Ambientais) – Universidade Federal do Amazonas, Manaus, AM, 2018.

VERÍSSIMO, J. A pesca na Amazônia. Belém: Universidade Federal do Pará, 1970.

WOODWARD, K. Identidade e diferença: uma introdução teórica e conceitual. In: SILVA, T. T. (Org.). Identidade e diferença: a perspectiva dos estudos culturais. 3. ed. Petrópolis: Vozes, 2000.

Publicado
2021-03-16