O currículo nas veredas da fenomenologia: experiência de formação com os estudantes Enawene Nawe, Juína, MT

  • Cleyde Nunes Carvalho É Professora da Secretaria de Estado de Educação (Seduc-MT) atuando na Educação Básica; e Professora do Instituto Superior de Educação do Vale do Juruena (AJES), Curso Unidade Juína, Brasil.
  • Léia Teixeira Lacerda Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul
Palavras-chave: educação escolar indígena, diversidade, currículo, fenomenologia.

Resumo

Este artigo tem por objetivo apresentar a concepção fenomenológica de currículo como uma proposta para a reflexão das temáticas da diversidade, a partir da formação oferecida aos estudantes Enawene Nawe, matriculados no Ceja Alternativo de Juína, Mato Grosso. Para tanto, foi realizada uma pesquisa bibliográfica sobre o tema proposto considerando as contribuições de autores do campo do currículo, da diversidade e da fenomenologia. Os resultados dessa reflexão evidenciam que a incorporação dessas temáticas, em um currículo fundamentado na perspectiva fenomenológica, é fundamental, tendo em vista a aproximação dessa abordagem com as relações humanas e, desse modo, também com as questões relacionadas à modalidade de ensino da Educação Escolar Indígena. Para a implementação dessa modalidade, é necessária uma concepção de currículo que considere o processo formativo dos grupos étnicos de maneira articulada aos conteúdos das disciplinas e às visões de mundo, ao modo de ser e de viver dessa etnia.

Biografia do Autor

Cleyde Nunes Carvalho, É Professora da Secretaria de Estado de Educação (Seduc-MT) atuando na Educação Básica; e Professora do Instituto Superior de Educação do Vale do Juruena (AJES), Curso Unidade Juína, Brasil.
Mestre em Educação pela Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS, 2014). É Professora da Secretaria de Estado de Educação (Seduc-MT) atuando na Educação Básica; e Professora do Instituto Superior de Educação do Vale do Juruena (AJES), Curso Unidade Juína, Brasil
Léia Teixeira Lacerda, Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul

Graduada e Mestre em Psicologia pela Universidade Católica Dom Bosco (1995/2003), Mestre em História pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (2004). Doutora em Educação pela Universidade de São Paulo (2009). Docente da Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul desde 2000. Atua na graduação e na pós-graduação. É líder do Grupo de Pesquisa: Educação, Cultura e Diversidade certificado pelo CNPq. Tem experiência em pesquisa e ensino superior nas áreas de Psicologia da Educação e História Indígena, com ênfase em Educação Preventiva, tendo publicado capítulos de livros e artigos em revistas especializadas. É vencedora do Prêmio Péter Murányi 2009 Educação, com o trabalho: Educação de Jovens e Adultos e Prevenção das DST/ Aids em Escolas Indígenas do Pantanal de Mato Grosso do Sul, concedido pela Fundação Péter Murányi. Atua principalmente nos seguintes temas: pesquisa educacional, formação de professores, educação escolar indígena, história das populações indígenas de MS, prevenção das Doenças Sexualmente Transmissíveis e Aids, história, psicanálise, cultura e sexualidade dos povos ameríndios.

Referências

BICUDO, Maria Aparecida Viggiani. A Filosofia da Educação centrada no aluno. In: MARTINS, Joel. Estudos sobre existencialismo, fenomenologia e educação. São Paulo: Centauro, 2006. p. 57-104.

BRASIL. Conselho Nacional de Educação. Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Escolar Indígena na Educação Básica. Resolução CNE/CEB n. 5, de 22 de junho de 2012. Brasília, Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, 25 de junho de 2012, Seção 1, p. 7.

CANDAU, Vera Maria Ferrão. Diferenças culturais, cotidiano escolar e práticas pedagógicas. Currículo sem Fronteiras, v. 11, n. 2, p. 240-255, jul./dez. 2011.

CARVALHO, Cleyde Nunes Pereira de. O ensino de Ciências e a Educação em Saúde na escolarização dos Enawene Nawe no Ceja Alternativo de Juína, Mato Grosso, Brasil. 2014. 217 f. Dissertação (Mestrado em Educação) - Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul, Paranaíba, MS, 2014.

FERREIRA, João Carlos Vicente. Mato Grosso e seus Municípios. Cuiabá, MT: Buriti, 2001.

FREIRE, Paulo. Pedagogia do oprimido. 17. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987.

GOMES, Nilma Lino. Indagações sobre currículo: diversidade e currículo. Brasília: Ministério da Educação, Secretaria de Educação Básica, 2007.

KAHHALE, Edna Maria Peters. A diversidade da psicologia: uma construção teórica. São Paulo: Cortez, 2002.

MARTINS, José Clerton de Oliveira et al. De Kairós a Kronos: metamorfoses do trabalho na linha do tempo. Cadernos de Psicologia Social do Trabalho, São Paulo, v. 15, n. 2, p. 219-228, 2012.

MATO GROSSO, Estado [de]. Planejamento semestral para os cursandos Enawene Nawe aldeia Halataikwa sala anexa Ceja Alternativo município de Juína. Juína, MT, [s.d.].

______. Proposta Ceja Alternativo para atendimento ao povo Enawene Nawe. Cuiabá, MT: Superintendência de Diversidades Educacionais. Coordenadoria de Educação Escolar Indígena, 2011. 36p.

MERLEAU-PONTY, Maurice. Fenomenologia da percepção. 4. ed. Tradução: Carlos Alberto Ribeiro de Moura. São Paulo: WMF Martins Fontes, 2011. (Texto original publicado em 1945).

SACRISTÁN, J. Gimeno. O currículo: uma reflexão sobre a prática. Porto Alegre, RS: ArtMed, 2000.

SANTOS, Gilton Mendes dos. Da cultura à natureza: um estudo do cosmos e da ecologia dos Enawene-Nawe. 2006. 231 f. Tese (Doutorado em Antropologia) – Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2006.

______. Seara de homens e deuses: uma etnografia dos modos de subsistência dos Enawene Nawe. 2001. 153 f. Dissertação (Mestrado em Antropologia) – Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, SP, 2001.

SILVA, Márcio Ferreira da. Tempo e espaço entre os Enawene Nawe. Revista de Antropologia, São Paulo, v. 41, n. 2, 1998. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0034-77011998000200002>. Acesso em: 29 out. 2015.

SILVA, Tomaz Tadeu da. Documentos de identidade: uma introdução às teorias do currículo. Belo Horizonte: Autêntica, 2007.

WEISS, Maria Clara Vieira. Contato interétnico, perfil saúde-doença e modelos de intervenção mínima: o caso Enawene Nawe em Mato Grosso. 1998. Tese (Doutorado em Saúde) – Fundação Oswaldo Cruz, Escola Nacional de Saúde Pública, Rio de Janeiro, 1998.

ZORTHÊA, Katia Silene. Daraiti Ahã: escrita alfabética entre os Enawene Nawe. Cuiabá, MT: EdUFMT, 2009.

Publicado
2017-04-24